A paternidade ativa é urgente

Sempre que meu esposo saía sozinho com o bebê, voltava para casa contando de alguém que havia perguntando surpreso como ele conseguia passear sozinho com o filho, ou então o parabenizando, como se isso não fosse a sua obrigação.

Lembro de escutar, quando meu filho era recém nascido, os homens da família contando que só foram pegar o próprio filho no colo depois dos 3 ou 4 meses. 

Eu não tive um pai super presente na infância. O via a noite quando chegava do trabalho, e nos finais de semana. Nunca foi muito carinhoso, nunca trocou minhas fraldas, nunca brincou muito comigo. Arcava com todos os custos da casa e dos filhos, e pra ele, isso era ser pai. 

A ideia de pai enquanto genitor que exerce cuidado é algo muito recente. O pai sempre foi apenas o provedor. O pai era duro, muitas vezes o que apenas castigava. O carinho com os filhos era negado ao pai pela sociedade. Pensa bem, quantos pais não perderam tantos momentos de afeto com os próprios filhos? Quantos filhos não cresceram feridos por não ter o afeto dos pais? A paternidade ativa é urgente, e precisamos repensar o que significa ser um pai presente.

Então, pra você pai, que tem consciência de quanto ser pai é importante,  aí vão algumas dicas de como exercer uma paternidade ativa:

Leia, estude, se preocupe  

Eu estou em dezenas de grupos sobre cuidado dos filhos, e a maior parte das pessoas ativas nesses grupos são mulheres. Quem estuda sobre qual é a melhor forma de alimentação, ou melhor pedagogia para a escola, ou sobre o melhor sling pra comprar é sempre a mãe. E o pai é tão responsável quanto a mãe por isso.

Acredite em mim, não tem nada que de mais raiva numa mãe do que passar semanas lendo sobre algum tema de cuidado do filho, e o pai leigo no assunto chegar com uma opinião sem fundamento.  Então estude. Criar um filho é foda. Exige estudo, é aprendizado. 

Criar um filho é mais do que ser presente

É super importante que o pai troque fraldas e brinque com o seu filho. Mas tem várias tarefas chatas que quase sempre acabam ficando com a mãe. 

Criar um filho é pensar se tem fralda até o final do mês, se os sapatos ainda estão servindo, se já olhou a agenda da escola, se as vacinas estão em dia. Isso é dever do pai também. Parecem coisas pequenas, mas as mães acordam e vão dormir pensando nisso. Por que essas tarefas raramente são divididas, e isso é uma sobrecarga mental nas mentes delas. 

Converse com outros pais sobre paternidade ativa

Pode ver que é só duas mães se juntarem que já começam a conversar sobre que leite o filho toma ou em qual pediatra ele vai. Quase todas as vezes que eu vi pais conversarem, os filhos eram um assunto quase inexistente. 

Homens, conversem com outros homens sobre a paternidade. Aposto que vocês também tem muito o que aprender uns com os outros. E por incrível que pareça, tem homem que ainda não sabe que ser pai é mais do que comprar fralda. Ele precisa que outros homens mostrem que é mais do que isso. 

E outra coisa, políticas públicas são pensadas quando um segmento da sociedade se organiza pra exigir direitos. Se vocês acham injusto uma licença paternidade de 5 dias, por exemplo, precisam se organizar pra que isso mude. Paternidade também é política. Grupos de mães organizadas tem aos montes. Já de pais…nunca vi. São vocês que vão mudar isso. 

Quero aproveitar aqui pra deixar algumas indicações de podcasts e blogs sobre paternidade ativa.

Eu passei a pensar mais nesse assunto depois de um episódio incrível do podcast Mamilos, sobre paternidade. Recomendo que todos escutem, se emocionem e chorem bastante. 

https://www.b9.com.br/shows/mamilos/mamilos-209-homem-pai/

E aqui, as minhas indicações de blogs feitos por pais:

Paizinho,

Esse todo mundo conhece. Criado pelo Thiago Queiroz, que é pai de 3 filhos e escreve sobre parentalidade consciente e criação com apego. Tem o blog, tem podcast e tem canal no youtube. Se joga!

Pai Mala

O pai mala é um blog escrito pelo Beto Bigatti, pai de dois filhos. Tem muitos textos sobre paternidade ativa, e eu recomendo especialmente esse aqui.

Podcast Afropai

É o primeiro podcast sobre paternidade negra, produzido por três pais, Hélio Gomes, Leandro Ferreira e Diego Francisco. O podcast é semanal, e tem episódios novos todas as segundas.

Diário Ilustrado da Paternidade

Rodrigo Bueno é pai de gêmeas e desenhista. Nessa série de tirinhas, ele conta a descoberta da gravidez, o nascimento e a infância das filhas com muito humor, e também propõe reflexões sobre a paternidade. A ilustração tema desse texto é de autoria dele.

E você, tem alguma indicação de blog, podcast ou site sobre paternidade ativa? Me conta aí nos comentários.

Enfim, felizmente, a sociedade está em constante mudança. 

Meu pai também mudou. Com meu filho é um avô carinhoso e amoroso. Ele é como avô o que não conseguiu ser como pai. Acho que ver meu pai como avô me curou da mágoa que tinha com ele, e também o curou, por poder exercer esse cuidado com o filho da sua filha. 

Cada dia mais a gente vê pais assumindo suas tarefas de pai, e criando filhos que também vão criar seus filhos com presença, com afeto, de outra forma. Estamos criando uma nova sociedade. Que dia após dia tenhamos pais mais presentes de fato, que dividam os cuidados domésticos e com os filhos de fato. Isso vai criar nossos filhos para um mundo com mais equidade e justiça. 

Autor: Cheyenne Vieira

Autor: Cheyenne Vieira

Cheyenne é estudante de jornalismo, mãe do Ernesto, trabalha com fotografia e na comunicação da Dona Chica Slingueria. Está no Instagram @cheyenne.vieira

Postagens Relacionadas

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.